fbpx

Documentários Netflix

Quem me conhece (ou me acompanha no instagram) sabe que eu gosto muito de ver documentários. E sei que muitos de vocês também gostam. O post de hoje é para falar de alguns que eu gostei no Netflix (espero que essa lista sempre se renove, e, quando isso acontecer, eu farei novos posts). Comente abaixo dando dicas do que você também gostou. Sempre estou querendo indicações.

5 – Iris – Sobre Iris Apfel. Não sabe quem é? Não se sinta estranho, eu nunca tinha ouvido falar! Daí assisti ao documentário e me apaixonei por uma mulher forte e surpreendente, ela passou a ser um dos meus modelos de vida. Incrível! Eu poderia dizer que é para mulheres, mas meu marido assistiu comigo e achou ótimo. Iris é uma pessoa que inspira.

4 – Minimalism – sabe aquela frase que rola nas redes sociais “compramos coisas que não gostamos, com o dinheiro que não temos para impressionar pessoas que nem conhecemos”? Então, minimalism, para mim, aborda isso. Fala sobre um estilo de vida – minimalismo – de se comprar somente o que é necessário. Nada mais. Ao abordar sobre o assunto, discussões sobre o consumismo são inevitáveis e o documentário traz muito bem!

3 – What the healthJá fiz um post só sobre ele aqui. E, provavelmente, você já ouviu falar. É um documentário bastante marcante (daqueles que precisamos de um tempo para digerir todas as informações mostradas). Bastante conteúdo sobre alimentação, indústrias alimentícias, dados científicos sobre consumo da carne, impacto ambiental e muito mais.

2 –  Embrace – Ame o seu corpo do jeito que ele é! É sobre isso que “Embraced” aborda. Fala sobre autoestima e nos mostra exemplos de mulheres fantásticas que aprenderam a se amar como são. É lindo e emocionante e eu costumo indicar nos meus cursos como documentário obrigatório, porque só podemos ser felizes quando o amor-próprio existe.

1 –  O começo da vida – Verdadeiro, inteligente, emocionante! Poderia fazer um post só sobre ele, mas fica mais simples dizer: assistam! É incrível! Fala sobre a importância dos primeiros anos de vida e nosso papel (dos adultos) na vida das crianças. Somos responsáveis por todas (sim!) e, sabendo disso, como agir conscientemente para melhorar o agora e o futuro? É meu preferido (há um bom tempo).

Deixe um comentário